quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Parque de exposições

Sabe, ele é bobo. Bem bobo, mas eu entendo. Na verdade ele ainda não sabe que vivo por ele e que a sua presença vibra em cada minuto da minha existência. É o pensamento fixo, é o sentimento pulsante. E por não saber disso (pelo menos não plenamente) acaba assim, bobo. E por isso temos alguns momentos de tensão, alguns desentendimentos bobos. Sempre assim, bobos. Nós dois bobos. Eu não estou isenta, não fujo dessa bobagem também, por ser idêntica a ele, mesma alma, mesmo coração, mesmas paranoias. É, eu sou ele de saia. Ou de calça, de calção, de calcinha, de cueca, na verdade até onde sei nem existe mais ele ou eu, não há mais disjunções, ambos passamos a ser um só há muito tempo.

7 comentários:

Leonardo Curcino disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leonardo Curcino disse...

que bonito, pp! ate arrepiei! sem palavras.

...

obrigado. vc é muito especial. nossa vida deve ser mesmo um parque. hopi hari ou playcenter. emapa. cama, mesa e banho. tudo junto.

Claudinha disse...

Huauhhauhuauhauha! Q lindo, adoro essa casal, tudo a ver vcs 2!!! Me identifiquei nessa coisa de "dois bobos" meio que entrelaçados. Tudo de bom!!!

Rose disse...

Ain, ti lindo!
=)

Amo tu, bonequinha de porcelana!

Jairo Souza disse...

^^ bobagem!

kallani disse...

que lindo *-*

˙·٠•● ѕεறிoτιvo ◦ disse...

É nítido isso pelas postagens...
A Lih de antes, a Lih durante e a Lih agora.

Bem mais romântica, mais filósofa.
O que o amor não faz...