sábado, 6 de outubro de 2007

Sobre um pensamento crítico

Depois de assistir a uma palestra de um desembargador que, apesar de seguir uma linha de raciocínio brilhante [próxima ao ideal libertário], não admitia que alguém pudesse pensar um tanto quanto diferente da sua ‘ilustre’ opinião, comecei a analisar um pouco melhor o papel do jurista na sociedade. E não só o papel do jurista e do magistrado, como também de qualquer cidadão provido de pensamento crítico ou pelo menos um pouquinho de intelecto que seja.

Pois bem, o que extraí desse pensamento foi o seguinte: em primeiro lugar, não há uma verdade absoluta. Precisamos investigar a realidade, pois é perfeitamente possível a existência de várias verdades diferentes para um mesmo fato: tudo dependerá do ângulo de visão do observador. O que pode ser verdadeiro para mim em determinado momento [em virtude do meu modo peculiar de interpretar um fato], para você pode não ser [e vice-versa] e, no entanto, nenhuma delas deixa de ser verdade para cada um de nós. Existem, portanto, a minha verdade e a tua verdade, ambas perfeitamente verdadeiras, com o perdão da redundância.

Tentando explicar melhor: não é porque alguém interpreta algo de uma maneira diferente da minha [o que vai ocasionar, de modo inevitável, uma realidade distinta para cada um de nós], que a minha verdade é a mais idônea: ambas estão em pé de igualdade, ainda que as interpretações não sejam iguais. Aliás, elas não precisam ser idênticas, e dificilmente as são.
Seguindo tal raciocínio, penso que deve ser muito delicada a decisão de um juiz no sentido de decidir qual das verdades será a considerada por ele verdadeira numa sentença. Afinal, se podem existir várias realidades para o mesmo fato, como é que o sujeito vai dizer que ‘a verdade é x, alegada pelo autor’ ou ‘a verdade é y, alegada pelo réu’?

Isso não ocorre só com os juristas ou profissionais ligados ao Direito. Se um fato tem várias verdades para um juiz, naturalmente a terá também para nós, ‘reles mortais’. Isso mesmo. Ao contrário do que muita gente pensa, não é porque o cara é juiz que ele é mais bonito, mais inteligente, mais cheiroso, mais bem-amado, mais-mais do que qualquer outra pessoa. O cidadão apenas passou em um concurso da magistratura que lhe permitiu auferir o cargo de juiz. Ponto. Simples assim. No fundo ele continua sendo uma pessoa como todos nós, que come, bebe, sorri, chora, se diverte, faz sexo e que vai ao banheiro fazer cocô, por quê não?

Enfim, as pessoas costumam se achar com a razão. Aquilo que fazemos está certo do nosso ponto de vista, e o que o outro faz está certo do ponto de vista dele. E no final, nenhum está mais ou menos certo que o outro.
Ficou confuso?

Ahm... além de tudo isso, eu também pensei em mais coisas. Mas aí já fica pra outro post, porquê senão o raciocínio vai ficando cada vez mais complexo e daí embola tudo.
Então, beijinhos pípol.

18 comentários:

Júlio disse...

Eu seria discipulo de Rui Barbosa.
Acho que esse indiduo tem a mente um pouco fechada, e, infelizmente algumas pessoas são assim. A vida é feita de relaçãoes pessoais e interpessoais, e a gente vive a busca de extrair o melhor, seja igual, seja diferente. É isso.
Alguem entendeu alguma coisa?

Daniel disse...

As pessoas com pensamento crítico mais bem desenvolvido do que em geral, pecam por achar que suas verdades são "verdades perfeitas". Nunca debato com uma pessoa assim; gosto de absorver as informações e filtrar aqui que acho igual ou parecido com o meu pensamento.

Mamanunes disse...

Situação difícil...´
Porisso mesmo é que espera-se de um juiz, no mínimo bom senso e ética. É o que norteia a justiça humana, porque de fato, justiça mesmo, só a de Deus (muitas vezes questionada).
Gosto do seu raciocínio.
Boa semana Xuxuruuka!
:)

Segunda a Sexta disse...

Ai... muito cedo pra pensar em quantas verdades eu posso encontrar na minha vida... :P

Ótimo pensamento. Porém, uma coisa bem feita sempre vai alterar a verdade dos outros a respeito de você.

Tudo bem, parei de pensar.

Beijo!

Sieger disse...

Ai, essa historia de pensamento critico é complicado... Meu chefe tem perrengues com os outros professores pq ele é mto "terco", a opinião dele é a absoluta e o meu papi (meu professor idolo cubano negão de quase 3 metros de altura) é contra e vive gritando com ele... As reuniões são tensas! Mas eu adoro! Eu sinto uma coisa boa, uma vontade macabra de rir quando meu papi grita com o mexicanudo e ele fica sem graça...

Mto cookie sua nenê! Eu tenho uns cachorros nada cookies aqui... Eles são pastores alemães canibais... Tenho pavor deles! Teve um dia que a Poty comeu os filhotes e avançou em mim...
Beijing!

Iara Alencar disse...

Naonaonao
iara não esquece Lih!! lih sumida e iara enrolada.

Iara Alencar disse...

isso é complicado.

mas nao existe o júri??
nao é o juri que decide?

linni_lima disse...

Iara, o júri é só pra crimes dolosos contra a vida, ou seja, só em ações penais.
Existem as outras ações penais [que não são em crimes dolosos contra a vida], as cíveis, trabalhistas, federais, militares, eleitorais etc etc etc.
(:

linni_lima disse...

Grr, odeio qdo comento com o login errado... mas ok, aí em cima sou eu mesma, a Lih.
Hahahaha

Iara Alencar disse...

epa..

nao entendo essas coisas mesmo..
porque o criem doloso precisa de juri??

é como deixar a culpa em cima das pessoas que ali foram e nao com as autoridades.

Ana Paula disse...

Lih, sumi, não. Tava dodói...

Sempre conversei sobre juízes com a minha irmã advogada. Complicado, para alguém que não é da área, como eu, entender uma pessoa tão... onisciente... rs

Se bem que há gente assim em todas as profissões, né, não? rs

Beijos!

AndreM disse...

Pode ser que no final nenhum está mais ou menos certo que o outro... Mas lembre-se que alguéns tem o poder de decidir e decretar que uns estão mais certos que outros, e é o que passa a valer, mesmo que injusto ou relativamente. O mesmo acontece com a "versão oficial da História", contada pelos vencedores ou quem detém o poder.

Vou iniciar uma série de reflexões sobre Ilusões, depois vou falar sobre Verdades/Realidades e Mentiras. São temas interessantes, e certamente polêmicos, pois cada um quer que a sua verdade prevaleça sempre.

Marcus Vinicius disse...

A menina está filosofando muito!!!! É isso aí!!! rsrsrs Gostei de ver!

É aquela velha história: um copo pode estar meio cheio... mas da mesma forma pode estar meio vazio! Questão de ponto de vista!

E como vc bem disse, isso não acontece apenas na área jurídica.

Na política isso é muito comum. As pessoas, em nome de suas idéias e de uma arrogância tacanha, acabam por se manter num pedestal. Esta atitude acaba sempre prejudicando a todos! Neste caso quem sofre é toda a população que assiste a este show de arbitrariedades.

bjs Lih!

Erika disse...

Nossa que menina pensativa...
Mas geralmente esses intelectuais ou possuidores de alguma sabedoria têm complexo de 'eu tenho sempre razão'....
Bjos

Mamanunes disse...

Olá sumida... espero que vc esteja bem, bem, bem, muito bem, bem bem!
bjk
:)

Anne disse...

Só nos pensamentos profundos, heim lindinha??? Como os meus hoje estão absolutamente rasos eu não vou nem estragar seu post com os meus comentários toscos...rs
Só passei pra te ver, deixar um beijo e desejar um excelente feriado pra ti!!!
Bjokasssss

Alice disse...

potz,isso e tri chato a pessoa pensa q sabe tudo e q os pensamentos doso utros sao todos errados,fala serio!
hey,conhece meu lay shop?
http://alicevoll-lays.blogspot.com


.*

Thiago disse...

Eu queria, e muito, ver a continuação, gostei da linha de raciocínio. Você é ótima!