terça-feira, 29 de julho de 2008

Indefinido

São 04h30 e estou acordada. Minha previsão é de que esta será mais uma terça-feira tediosa, como tantas outras que já vivi. Uma sensação diferente me acomete: não estou feliz, tampouco triste; não me percebo bem ou mal.

Creio que me sinto como se retornasse aos nove anos de idade, com meus primeiros poemas e minhas angústias solitárias. E tenho consciência de que é estranho esse tipo de pensamento, já que o normal é relacionar infância à felicidade.
A minha infância foi solitária. Não que ela fosse desprovida de momentos felizes, pelo contrário. Me lembro de vários deles e, curiosamente, todos eram laranja.

Já até escrevi sobre isso noutra ocasião: o sol com seus raios laranjas que batiam na terra laranja do quintal da casa da minha avó, o pôr-do-sol laranja no céu laranja, que combinava com as minhas roupas laranjas e com as laranjas que eu via debaixo dos toldos laranjas da feira aos domingos... enfim, meus-momentos-felizes-cor-de-laranja.

Acontece que, não obstante a existência de tais momentos, a solidão continuava sendo-me contumaz.
Ela me perseguia, e me dominava especialmente nas frias noites de inverno, trazendo inquietude e por conseqüência, a insônia.

Até hoje é assim.
E só Deus sabe por quanto tempo ainda será.
.
.
.
Ps: Por enquanto, a série Caio Fernando Abreu acaba por aí. Só por enquanto.

11 comentários:

Andre Martin disse...

Tome uma bela laranjada (ou suco de laranja, se preferir) e tudo ficará bem!

Harry disse...

E volta o cão arrependido... Urrúl!
Que bom que voltou a escrever, e quanto a solidão, não se preocupe tanto pois é bem quista por muitos tanto aí quanto em lugares mais distantes.

Leticia disse...

Ah menina tbm ando tendo uns momentos assim nas férias ; indefinidos, nem lá nem cá...

Quanto a solidão , eu que sempre tive muita gente em volta , curto uns momentos sozinha.É uma questão de prisma como se encara a solidão.
Bjks.

Bruno disse...

Esse "limbo" sentimental na minha opinião é pior do que a tristeza, porque sendo tristeza a gente corre em busca do oposto, a felicidade. Agora, quando a coisa é neutra fica mais complicado...
Bjo!

psique disse...

A solidão da criança que se sente adulta demais para passar tempo com as crianças, mas que é tratada como criança demais, sem poder passar tempo com os adultos. O menino que é novo demais e pentelhado demais para ficar com os irmãos e primos mais velhos, e que é menino e não pode ficar com as meninas. Do adolescente que se acha diferente e inteligente demais pra ficar com os colegas fúteis, mas ainda é ignorante demais pra saber que mesmo com esses ele pode aprender. Do impopular que sabe que poderia ser popular se quisesse, mas prefere continuar tendo conversas um pouco menos idiotas com os tais "nerds". Do pseudo-adulto que perdeu 90% da fé nas pessoas e prefere ficar quieto a conversar com esse 90% do mundo, que é cego, surdo e ignorante, com a mente fechada - os outros 10% são tão difíceis de achar.
Essa é a solidão que eu conheço. Espero que não seja a sua; ela não tem cura. Conhece "Solitary Shell" do Dream Theater? Mesmo que não goste do estilo musical, recomendo a leitura da letra. "Misunderstood", deles também, é outra que recomendo sobre mais ou menos o mesmo tema.

Agora, quanto a mim (como se já não tivesse falado o suficiente deste até agora), se ao menos a pessoa para quem foram destinadas aquelas palavras as lesse um dia...

BTW, obrigado pelas visitas. É bom não escrever apenas aos tríopes e asqueominteos de vez em quando.

Bill Falcão disse...

Tá, mas existem companhias piores do que a solidão, já pensou?
Bjooooooooo!!!!!!

Claudinha disse...

É... tive momentos d solidão na infãncia, posto que sou filha única. Ma sainda consigo aproveitar bem minha p´ropria companhia, entende? A menos q a solidão e a insônia seja causada por algum agente externo...Bjs guria! \o/

Mau Camus disse...

Eu quase fui solitário na minha infância. Só não aconteceu, porque sempre que precisei, eu estava lá.
Fica bem, linda!
Bjos

Ceisa Martins disse...

Nossa...
Já me vi por muitas vezes assim, meio inertem, estagnada em meus sentimentos, sem saber se estava bem ou mal e confesso que não sentir nada me assusta!
Adorei os momentos cor de laranja. Acho que sempre tive momentos com cheiro de chuva, com gosto de chocolate, mas não lembrode nenhum momento tão colorido assim...
E olha, que laranja é minha cor favorita!


Beijos!

«« ڱemöґïvö »» disse...

Altos e baixos, assim é feita a vida.
E o ser humano sempre nesta busca constante por algo pra preencher o TAL vazio que tanto lhe incomoda...
Vai passar...assim espero
Fica bem.

Ray

Mr. Jairo Souza disse...

Engraçado! vc é a 1ª pessoa q eu conheço q relaciona solidão ao laranja! hauhauau
mas solidão na infância é chato msm neah? acho q é a fase em que deveriamos ter mais amigos, pois as amizades são desprendidas e levianas! espero que pra você, não demore mt tempo para a sua solidão se curar! e q suas próximas terças feiras sejam estonteantes!

há! qnt aos pinguíns em salvador, é o lance da corrente marítimas q traz eles da patagônia!
=)
abraços!