quarta-feira, 9 de julho de 2008

Tributo a Caio

Hoje começo uma série de posts em homenagem a Caio Fernando Abreu.
Apenas trechos.


tenho uma coisa apertada aqui no meu peito, um sufoco, uma sede, um peso, não me venha com essas história de atraiçoamos-todos-os-nossos-ideais, nunca tive porra de ideal nenhum, só queria era salvar a minha, veja só que coisa mais individualista, elitista, capitalista, só queria ser feliz, cara.


[Os Sobreviventes]

6 comentários:

Mr. Jairo Souza disse...

concordo com a defesa de sí próprio!
o comunismo, socialismo, e etc são pura hipocrisia!

Daniel disse...

Concordo em partes com o Jairo. Comunismo, socialismo, capitalismo, são ideais que em geral, grande parte, inclusive eu, tem como premissas quanto a sua formação pessoal. Li, convidando você novamente a participar do O Arroto. Como disse anteriormente, ressucitei-o com o espírito da Confraria. Caso aceite, deixa endereço de e-mail lá no blog para que eu possa te enviar o convite de acesso. Bjus.

http://o-arrotoooo.blogspot.com/

http://so-pensando.blogspot.com

Li disse...

Eu voltei a postar no meu blog. Ele ressuscitou das cinzas!

Eu acredito muito no que o Caio disse. Acho besta esse negócio de ter um ideal pelo bem comum. Não faço nada pelo bem comum. Economizo água pra sobrar pra mais tarde para mim. Duvido quem não faça o mesmo!!!

Beeeijo ;)

Leonardo Curcino disse...

adoro caio fernando abreu! ele fala por mim! :D

«« ڱemöґïvö »» disse...

Perfeito!! Adorei este trecho.
Só acho que é melhor está feliz do que ser feliz.
Quando ser É feliz, a gente se acostuma com a situação e ni fim acaba ficando triste. E quando se eSTÀ feliz, a vida ganha mais sentido. Pq vai saber quando se terá outro momento feliz?


Grande beijo

ray

eLi disse...

Olá, olá!
Por indicação do amigo de blog Jairo do "IVVVl", venho aqui e me deparo com uma sequência linda de escritas de Caio F.
Estou conhecendo-o mais agora, desde que ganhei um livro sobre ele, escrito por uma de suas super amigas de vida.
O nome é "Para sempre, teu, Caio F.", escrito por Paula Dip. Parece biografia, mas não é, de fato. Trata-se de um aglomerado de cartas escritas por Caio a amigos e de amigos a Caio! E assim, de carta em carta, o leitor conhece a vida deste escritor com um vasto universo misterioso!

Beijo e parabéns pelo blog, viu?!?!