sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Por aí.

De repente me vejo num lugar estranho, com vários aglomerados humanos à minha volta.
A conversa flui de forma agradável com a velhinha ao lado, dona Cecília. Oh, que senhora amável!
É impossível saber o motivo exato e líquido pelo qual ali me encontro: são tantos e ao mesmo tempo nenhum.
Mas minha essência me diz que cheguei onde cheguei para tentar.
Sim, tentar.
Tentar vencer, tentar ser feliz, descobrir coisas e talvez me encontrar, quem sabe.

Porque a Aline nem sempre é um saco de batatas, às vezes ela é uma mulher.
E mulheres, ao contrário de saco de batatas, tem sonhos.

8 comentários:

Lucas disse...

Tomara que não fique só na tentativa... aliás, tu conhecerá a Dona Guta e imagino que irá se encantar com ela.
=;P

Leonardo Curcino disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leonardo Curcino disse...

que bom que ta querendo tentar. fico feliz em saber, querida! (:

to torcendo muito pra dar tudo certo! e manda um beijo e um queijo pra dona cecilia! :***

Daniel disse...

é isso aí garota! Só conseguimos alguma coisa se tentarmos. Nada caí do céu, então vá a luta e conquiste tudo aquilo que sonhar. Têm texto meu no O Arroto. Bjus e bfs.

http://so-pensando.blogspot.com

http://o-arrotoooo.blogspot.com

Leonardo Filizolla disse...

adorei o texto.
adoro batatas. :D

T disse...

amadurecimento.

Jairo Souza disse...

Saco de batatas never! E que a inspiração volte a habitar seu coração!

Inside Me disse...

os sonhos, querida, são molas propulsoras que nos impulsionam a viver! por isso, sonhe muito, sonhe sempre! bjão