terça-feira, 8 de abril de 2008

Ah, a família...

O contexto: eu, minha mãe e minha avó no comércio do centro da cidade.

Minha vó diz: Nóóóóssa, mas eu nunca vi taaanta gente assim no centro da cidade.
Eu: Que exagero, vó.
Vó: Mas é verdade, ué.
Eu: Certo.

[2 minutos depois...]

Vó: Mas eu nuuunca vi tanta gente assim no centro da cidade.
Nota mental da Lih: Ta, ela acabou de dizer isso, whatever. ¬¬

[2 minutos depois...]

Vó: Vixi, mas eu nunca tinha visto tanta gente junta assim no centro da cidade.
Nota mental da Lih: Omg. Ela já disse isso².

[Mais 2 minutos se passaram...]

Vó: Mas eu nuuunc...
Nota mental da Lih: Putaqueopariocaraleo! Até quando a véia vai ficar repetindo a MESMA coisa?
Grunf.

Ai, tadinha. É que ela tem Alzheimer. /:
Fiquei me sentindo culpada depois.
Mas minha paciência anda realmente no ZERO.
Argh.

8 comentários:

lucas disse...

hahahahahaha... ah, a família é complicada pra quem tem tanto para quem não tem.
e vó é complicado, a minha tá aqui em sampa do mesmo jeito! se eu comesse toda vez que ela perguntasse se não comi já estaria um butijãozinho.
=:D

Daniel disse...

Que bom lê esses teus texto!Essa dela ter Alzheimer foi d+ rsrsrs. Bjus.

TOOP disse...

Coitada...
...
Toop!?
Assim, eu tive a infeliz idéia de cortar o cabelo curto bem na época da explosão da Betty Boop. Então amigos e namorado chamavam de "Tati Boop". E como o tempo foi passando e as coisas foram mudando, juntou-se os dois.
Toop.
Oq eu realmente gostei mais!
;)

Claudinha disse...

Tadinha da vó....rsrsrs... Juízo guria...Bj!

Segunda a Sexta disse...

Bem, joga uma bomba que tudo se resolve e a paciência volta.

Beijão!

Geminiana Doce disse...

paciência reuqer muita prática viu?srs
Tem desafio pra vc no meu blog!!!
Bjos

««§εмф†ϊvф»» disse...

kkk Tadinha... uah

Paciêncoia às vezes tb me falta viu?! rsrsrs
Caraca, mas ri demais dosseus pensamentos enquanto sua avó ficava repetindo.. auhauhaua


Beijo

Ray

Andre M disse...

Você escreve muito bem! Até pra contar uma pequena passagem como esta, foi interessante!

Quando as coisas parecem imutáveis para os outros, a solução pode ser mudarmos a nós mesmos!