quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Analisando Cazuza.



Vejamos até onde vão as minhas afinidades com o poeta... análise de hoje: letra de “Todo amor que houver nessa vida”, do Cazuza.

“Eu quero a sorte de um amor tranqüilo
Com sabor de fruta mordida
Nós na batida, no embalo da rede
Matando a sede na saliva”


A “sorte de um amor tranqüilo” expressa o êxito de um romance sem grandes perturbações. Como o amor, por si só já é complicado, conseguir um amor tranqüilo seria realmente muita sorte. Já o “sabor de fruta mordida” consiste no sabor doce de algo que se experimenta. A rede e a saliva, creio que dispensam comentários...

“Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum trocado pra dar garantia”


Aqui o poeta exprime a necessidade de ser imprescindível a alguém, tal como é o alimento, “a comida”. O relacionamento então se constituiria assim: com amor, com a imprescindibilidade de um para o outro, e também com algum dinheiro que garanta o sustento de ambos. É essa a idéia do “algum trocado pra dar garantia”. Incrí­vel a idéia do Cazuza de explorar a questão das dificuldades financeiras numa música, afinal, apesar de ser verí­dico, tal tema não costuma ser objeto de abordagem por outros compositores.
Aliás, não seria nada poética uma composição que relatasse a separação de duas pessoas em decorrência de problemas econômicos. Mesmo assim, o autor conseguiu fazer isso de uma forma encantadora, sem deixar a música com aspecto mercenário.

“E ser artista no nosso conví­vio
Pelo inferno e céu de todo dia
Pra poesia que a gente não vive
Transformar o tédio em melodia”

Bem... a convivência enseja naturalmente momentos bons e ruins, o que pode ser equiparado ao “inferno e céu de todo dia”. Já o verso “pra poesia que a gente não vive” demonstra os problemas, dúvidas e incertezas do cotidiano. O que o autor quer, na verdade, é amenizar tais aborrecimentos do dia-a-dia e tranformá-los em momentos agradáveis, “transformar o tédio em melodia”.

“E se eu achar a tua fonte escondida
Te alcanço em cheio, o mel e a ferida
E o corpo inteiro como um furacão
Boca, nuca, mão e a tua mente não”

O autor busca a essência do outro, e por vezes essa essência se oculta. Daí a expressão “fonte escondida”. A “fonte” então simboliza o íntimo, o âmago, e se alcançada, levaria o autor a conhecer tanto as virtudes (“o mel”) como os vícios (“a ferida”) do ser amado.
Entretanto, ele não consegue encontrá-la, e isso se evidencia no verso “boca, nuca mão, e a tua mente não”, ou seja, ele só consegue captar a linguagem falada pelos corpos, mas não a que ocupa a mente/ o íntimo do indivíduo.

“Ser teu pão, ser tua comida
Todo amor que houver nessa vida
E algum remédio que me dê alegria”

Por fim o que ele espera é ser imprescindível a alguém, mas além disso, espera também descobrir algo a mais que lhe faça bem. Talvez o que queira dizer a música é que não basta ser primordial na vida de alguém; deve existir também um remédio que cure as nossas aflições nos momentos conturbados e nos proporcione pelo menos mais alguns instantes felizes.

9 comentários:

Segunda a Sexta disse...

Se o que faz bem para você é fazer bem para os outros, o faça!

No mínimo você sai ganhando! =]

Sobre carência... acho que você se dá muito bem com a sua... depois de um tempo a gente pega prática, né? ;)

Beijão Miss Lih!

Daniel (O Arroto) disse...

Bela análise da música, parabéns! Contudo, tenho uam interpretação diferente do "se eu achar a tua fonte escondida...". Acho essa parte, toda ela, falando de sexo mesmo! Afinal, "amor sem sexo é amizade", "te alcanço em cheio o mel (prazer) e a ferida (Gemidos), e o corpo inteiro feito um furacão (a cidadã goz...), boca, nuca, mão (ratificassão do ato). Ah... Sobre o selo, é só colar a figura que está fixa lá no blog (em baixo dos outros selos). Bjos.

lucas disse...

olha só... tu continua sendo sensacional hein!?!?
=:D

Lih disse...

hahahahaha
êta, anjo! só vc mesmo hein!
(=

sieger disse...

sensacional a analise da musica... Ser importante mas tb encontra a felicidade!
e eu quero um figado novo

Segunda a Sexta disse...

Tem meme pra vc no meu blog, viu? Bjo!

Erika disse...

Que menina profunda!

Anônimo disse...

Moça.. muito bom..
Ja gostava da letra da musica..
Agora gosto ainda mais!
Meus parabens!
=)
Romulo

atuuty disse...

Nossa, eu estava procurando uma análise dessa música e a sua foi a única completa e satisfatória. as outras eram totalmente românticas e nada a ver com a letra. Parabéns!