sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Então é Natal?

É sempre assim.
O Natal também traz consigo uma peculiar atmosfera de nostalgia.
Surgem as lembranças dos Natais anteriores, aquele tio bêbado que estragou a festa na casa da sua avó, aquela tarde quente e ensolarada de Natal que fez sua pressão cair, as ligações e mensagens de cumprimentos no celular à meia noite, aquele primo que você não vê há tempos que fica te olhando com cara de tarado, enfim...

Por mais estranho que possa parecer, costuma existir uma enorme disparidade entre os meus Natais. Por exemplo, meu Natal passado foi uma droga. Em contrapartida, o retrasado foi o mais feliz que já tive.

O desse ano?
Bem, o desse ano promete, hein... promete ser uma droga novamente!
Mas nada que um Reveillon cheio de amigas loucas e bêbadas não consiga compensar.

Um comentário:

Segunda a Sexta disse...

Bem, ainda tem o ano-novo, não?

Bjo!