sábado, 14 de julho de 2007

"Todo dia ela faz tudo sempre igual"...

Cotidiano.
Ela acorda e toma um banho enquanto pensa na vida.
Veste-se de social, senta-se à mesa para almoçar, engole um comprimido e vai para o trabalho.
Lá, quilos de papéis a esperam sobre sua mesa. Ela senta, pacientemente analisa-os, e passo a passo vai construindo todo um trabalho em cima deles.
No final do dia, retorna exausta para casa.
Ao abrir a porta é recepcionada de imediato pela alegre cachorrinha. Seu irmão está sentado no sofá, concentrado na TV. Esgotada, ela cumprimenta-o rapidamente, abraça a cachorra, entra em seu quarto e desaba na cama.
Após um breve descanso ela senta-se novamente à mesa, desta vez para jantar com a família, já pensando que logo estará se preparando para dormir.
O dia está terminando e ela ainda se vê presa na habitualidade de seus atos.
Apenas mais um de seus dias, igual a tantos outros.

Realmente deprimente.

Um comentário:

Thiago disse...

De certa maneira a rotina pode se tornar algo vazio, sem sentido, incompleto. Quebrá-la de vez em quando é fundamental para uma vida "completa", experimentar novas aventuras, comidas, roupas, etc. Conhecer novas pessoas ou conhecer melhor as que pensamos conhecer é umas das coisas mais interessantes. Eu, particularmente, tenho buscado conhecer melhor as pessoas "conhecidas". Penso comigo "posso ir embora desse mundo a qualquer momento e nem conheci melhor as pessoas com as quais convivo ou convivi... Poderia ter criado vínculos com pessoas extremamente interessantes e nem mesmo tentei".